Edifício Martinelli: 5 curiosidades sobre o local

Edifício Martinelli: 5 curiosidades sobre o local

O Edifício Martinelli é um dos edifícios mais históricos da cidade de São Paulo. Muitas pessoas têm interesse em saber mais sobre sua história e arquitetura. Aqui o Grupo Dexter te conta 5 curiosidades sobre um dos prédios mais famosos do Brasil. Então, continue a leitura e saiba mais.

Martinelli Hoje em Dia

Nos dias de hoje, o Edifício Martinelli pertence a Prefeitura de São Paulo e comporta diversas Secretarias Municipais, dentre elas, de Habitação e Planejamento. É lá que nossos profissionais vão para realizar reuniões técnicas.

Destas coordenadorias, existem algumas que o Grupo Dexter interage diariamente na análise de seus processos. Como por exemplo: DEUSO (Coordenadoria de Legislação de Uso e Ocupação do Solo), RESID (Coordenadoria de Edificação de Uso Residencial), COMIN (Coordenadoria de Edificação de Uso Comercial e Industrial), SERVIN (Coordenadoria de Edificação de Serviços e Uso Institucional), CONTRU (Coordenadoria de Controle e Uso de Imóveis), CASE (Coordenadoria de Cadastro, Análise de Dados e Sistemas Eletrônico de Licenciamento), GTEC (Unidade de Gestão Técnica de Análise de Regularização), entre outras.

Lei da Anistia

É no interior do Edifício Martinelli que são feitas as análises do processo da Lei da Anistia. Dessa forma, o GTEC é responsável por essa análise. A Lei da Anistia permite a regularização de imóveis construídos até 2014. 

Nós fizemos um texto explicando tudo sobre essa Lei que promete regularizar cerca de 750 mil estabelecimentos. Então, confira Regularização de Imóveis: Tudo o que você precisa saber sobre a Lei da Anistia.

História do Edifício Martinelli

Em 1893 Giuseppe Martinelli chega ao Brasil para realizar o seu sonho de ser arquiteto. Após muitos anos de trabalho, em 1920, Giuseppe se tornou um dos empresários mais ricos de São Paulo. Assim, foi nessa mesma época que ele decidiu realizar o seu sonho de projetar uma obra impactante no centro de São Paulo.

Em 1924, Giuseppe iniciou a construção do Edifício Martinelli, que foi concluída em 1929. O projeto foi construído pelo engenheiro-arquiteto William Fillinger. Então, pouco tempo após sua construção, moradores da cidade de São Paulo comentavam que a qualquer momento o prédio iria desabar por conta de seu tamanho.

Arquitetura do Edifício Martinelli

O Edifício Martinelli conta com características da arquitetura francesa. Contudo, o seu estilo é inspirado em uma mistura de elementos da Europa, como o beaux-art e o eclético. Assim, sua divisão remete a arquitetura clássica, dividida em: embasamento, corpo e coroamento.

O Edifício foi o primeiro arranha-céu do Brasil e chocou toda a população da época por conta do seu tamanho. O local tem 30 andares e 106 metros de altura. Uma de suas principais particularidades são os 3 tons de rosa presentes em seu exterior e interior. Dessa forma, no corpo do prédio há uma mistura de vidro moído, cristal de rocha, areias e pó-de-mica, que antigamente fazia a fachada do edifício cintilar quando escurecia. 

Itens Originais 

Até os dias de hoje, o Martinelli tem suas portas e janelas originais desde a sua inauguração em 1929. Dessa forma, em seu interior, ele tem portas de pinho de riga, escadas de mármore italiano, vidros, espelhos e até mesmo papel de parede de origem belga. Em seu famoso terraço, 80% dos pisos são originais. Apenas os lustres dos corredores são réplicas, pois os originais se desgastaram com o passar dos anos.

Mirante

Em abril de 2019 o mirante do Martinelli voltou a ter visitas gratuitas. Assim, milhares de arquitetos de todo lugar do Brasil faziam questão de conhecer o tão famoso prédio e admirar a vista de seu terraço. Portanto, em 2020 ele foi fechado por tempo indeterminado por conta da pandemia.
E aí, gostou do conteúdo? Então, aproveite e saiba tudo sobre a Reforma do Vale do Anhangabaú. Até o próximo post!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *